sábado, 9 de fevereiro de 2013

Sendo Nikki.

Todo mundo animado com o Carnaval? Pra mim não faz muita diferença, não gosto muito da bagunça, mas fico feliz por ter minha mãe em casa durante o feriado... *-*
E eu uso o tempo, claro, para ler, então vamos para a resenha da minha última leitura!

Depois de se descobrir no corpo de uma super modelo, a nerd Emerson Wats está confusa e perdida, apesar de ainda fazer uso da desculpa da amnésia para justificar não conhecer ninguém e não saber nada do que acontece a sua volta.
Mas o coraçãozinho de Em está partido, pois Christopher, o antigo melhor amigo pelo qual ela é apaixonada, acha que ela está morta. Ainda por cima, ela tem que aprender a ser famosa, lidar com os paparazzis, conciliar a carreira com os estudos e tudo o mais, porém as coisas podem ficar ainda piores.
Praticamente surgido das cinzas, um irmão de Nikki retorna para sua vida, trazendo junto a notícia de que sua mãe está desaparecida, antigos namorados de Nikki aparecem a todo instante, Brandon ainda não desistiu de reconquistá-la, o cantor pop mais famoso da atualidade escreveu uma música para ela e Christopher agora está planejando destruir a Stark, a empresa para qual ela trabalha.
Sem saber qual problema terá que solucionar primeiro, ela terá que interpretar muito bem o papel de Nikki até descobrir uma forma de lidar com tudo e todos...


E mais uma vez Meg Cabot consegue criar uma trama de acontecimentos interessantes e hilários em uma narrativa divertida e expressiva, porém com um pouco mais de aprofundamento dos personagens.

Neste segundo livro, podemos conhecer um pouco mais sobre a verdadeira Em e sobre a antiga Nikki, coisa que não estava muito presente no primeiro volume da série, mas com certeza deu um diferencial a mais para a história, pois como Em tem que literalmente ser a Nikki, ao mesmo tempo em que sabemos o que a Em quer, sabemos o que a Nikki faria, então as duas se tornam mais próximas. Ficamos tão próximas que os dilemas enfrentados pela Em me deixaram aflita e ansiosa, esperando um desfecho feliz para cada assunto, rindo alto quando ela praticamente entrava em desespero com tantas coisas acontecendo simultaneamente e chorando com o final.

E que final. Estou inconformada com ele, que me deixou extremamente ansiosa para ler o terceiro e último livro da série (que eu ainda não tenho), ao mesmo tempo em que fico me perguntando: "Isso foi realmente necessário? A história não poderia ter tomado outro caminho?". Sim, eu amei e odiei este final, pois ao mesmo tempo que ele abre portas para um terceiro livro maravilhoso, ele faz menção de que a história vai se perder e isso me deixou aflita.

E exceto por este final, tudo no livro é perfeito. Os personagens estão mais expressivos, acolhedores e se mostrando de verdade e desta vez a narrativa não se arrastou em momento algum. Foi delicado e emocionante passear novamente pelo mundo de moda e glamour da alta sociedade, em festas maravilhosas, desfiles e sessões de fotos pra lá de engraçadas. Este segundo livro conseguiu ser melhor do que o primeiro e estou esperando com o coração apertado pelo terceiro, sem saber se quero mesmo ler ou não...
E como poderia controlar o corpo de outra pessoa de alguém que não era eu? Pelo ao menos alguém que ainda não era eu. Não por completo. (Pág 35).
Título: Sendo Nikki.
Autora: Meg Cabot.
Editora: Galera Record.
História: 4/5.
Narrativa: 5/5.